terça-feira, 11 de agosto de 2020

Fronteiras Internas

Vanessa Oliveira

O nosso primeiro desafio será este:


Tema: Fronteiras Internas
Desafio: Usando o tema escrever um poema, conto ou crônica usando fatos absurdos, surreais, que desconcertem a realidade.


Meus Limites

Avanço com positividade,
Recuo com receio do pior.
Progrido com esperança,
Volto com insegurança.

Despenco-me...

Exponho-me ao ar livre,
Sou liberdade intrínseca.
Retenho-me no isolamento,
Sou acuada em lamento.

Despenco-me...

Durmo na espreita atenta,
Sonho com nuvens azuis.
Esbarro-me em retorno.
Não segura ao entorno...

Despenco-me...

Vejo-me limitada em ação,
Sou fronteira sem expansão.
Verso livremente, temente,
Independente, docemente.

Despenco-me...

P.S. Poema escrito em base a um sonho surreal que tive na semana... que nuvens tive que enfrentar, azuis em diversos matizes!


sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Presença de Pássaro



💙 Chica 💙 

 ♥ Botando a cabeça pra funcionar nº 22 ♥




Ela o espera na tardinha, com doçura,
Abre janela, despe cortina com finura.
Respira fundo, olha céu escuro. O olhar
Perde-se no horizonte, fica a espreitar.

Tece um lindo suplá, na cor amarela,
Segura agulha, linha, começa a voar.
Os vários pensamentos divagam nela:
Onde estará meu pássaro a esvoaçar?

 Véspera febril cantarola, não atordoa,
Como pássaro, um suave canto entoa.
O bom tempo decorrido, sem alarido.

De repente, por entre céu de nuvens,
Ouve seu toque sonoro, mensagens,
Olha bem firme: ele veio sem alarme.


Numa tarde cinzenta, pássaro cantou o Amor e se rendeu aos gorjeios amorosos da sua passarinha que  nele se aninha.

O pássaro simboliza a inteligência, a sabedoria, a leveza, o divino, a alma, a liberdade, a amizade. Por possuírem asas e o poder de voar, em muitas culturas são considerados mensageiros entre o céu e a terra.


segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Um Pátio Refrigério




💙 Marta Vinhais 💙


DESAFIO MENSAL JULHO


O desafio deste mês é o seguinte:

Com base nesta imagem (autor desconhecido), deixem que a imaginação vos dite o poema/texto.

Pode ser sobre a avó, sobre a neta ou sobre o pátio.

Quero que voes...





Patio: pátio descoberto rodeado por edifícios.

I

Meu Propicio Pátio

Tenho aqui pátios frutuosos,
Deles, avisto vários prédios.
Se olho acima, tenho os céus,
Se olho ao lado, arranha-céus.

Nele, eu sinto a brisa da tarde,
Ouço a sinfonia dos pássaros.
Eles, em bando, fazem alarde,
Ali me refúgio, que momentos!

Nele, balanço-me numa rede,
Vejo até lua visita vespertina.
Ele me possibilita chuva, sol,
Amo meu pátio, olho  arrebol.

Um ádrio só nosso é paraíso,
Em tempo ilhado, é benção!
Vivo na gratidão do meu 💙,
Noite e dia, nesta Pandemia.

(Descrevi meu próprio pátio)


Minha avó sentadinha


Mas, mais do que isso, quero que conheças o Mundo e que o Mundo saiba o teu nome.


Avó: mãe com açúcar.

II

À Minha Avó Amada, Celina

Vovó Celina, minha amiguinha,
Chorava por mim, numa defesa,
Na falta da fala, só me aninha, 
Que saudade dela! Estou ilesa.

Doce e santa mulher, madrinha,
Vivia presa numa cadeira, gemia,
Envolta na dor de uma paralisia,
Anos a fio, o Amor não retinha.

De todos era tão querida, amada,
Era ela uma avó doceira, prendada.
Tinha uma fé viva, era benzedeira,
Com ela junto, voava, apaziguada.

Um dia me apareceu anjo no céu: 
Pedrinhas, água, sua filha acolhia.
Está no bom lugar, acabou agonia,
Vive em boa harmonia, não ao léu.

Fotos do meu pátio nos detalhes acima:


Até as nuvens estão juntinhas em tempo de isolamento social solidário...



 Metade sol, metade chuva:





Muitas emoções tenho no pátio...



Voando, Marta, pelo seu desafio e pelas leituras que faço em meu pátio tão bem aproveitado.

Hoje estou Aqui


Related Posts with Thumbnails