quinta-feira, 17 de maio de 2018

Brincadeira de Criança (XXII) Raposo RJ


Brincar de ser menina levada, sem mal,
Independente do que fui e sou... arejar!
Fzer o que não pude na vida real: bordar!
Só de graça para distrair e alegrar: pintar.



Trenzinhos me chamam atenção,
Não devo viver na contramão!
Andar neles por pura distração,
Desopilar fígado, mimar coração.


Gnomos, anões me ajudam a brincar,
Levam-me a  um mundo encantado,
Onde meu coração é e se sente amado,
Fico alegre em ver a fantasia jorrar...


Mãe
Renovadora e reveladora do mundo
A humanidade se renova no teu ventre.
Cria teus filhos,
não os entregues à creche.
Creche é fria, impessoal.
Nunca será um lar
para teu filho.
Ele, pequenino, precisa de ti.
Não o desligues da tua força maternal.
Que pretendes, mulher?
Independência, igualdade de condições…
Empregos fora do lar?
És superior àqueles
que procuras imitar.
Tens o dom divino
de ser mãe

Em ti está presente a humanidade.
Mulher, não te deixes castrar.
Serás um animal somente de prazer
e às vezes nem mais isso.
Frígida, bloqueada, teu orgulho te faz calar.
Tumultuada, fingindo ser o que não és.
Roendo o teu osso negro da amargura.

Por ora, termino esta série e dou um tempo com este blog...

2 comentários:

  1. Ser menina levadinha, isso só nos traz alegria! Não dá pra não brincar! Espero que consigamos por muiiiiito tempo ainda brincar... Vale! bjs,m chica

    ResponderExcluir
  2. Oi amiga!
    Tanta saudade dos tempos de menina!
    Tudo é belo e mágico!
    Beijinhos com meu carinho amiga em Cristo.
    Abençoado fim de semana!.......

    ResponderExcluir

Deixe seu toque poético aqui.

Related Posts with Thumbnails