quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Tanto Faz


Tanto Faz

Tanto faz... 
Tanta labuta todo dia... 
Tantos afetos tardios, 
Derramados ternamente... 
Tantas lamúrias,
Tensamente choradas... 
Tantos desafetos tontos ...
Causam-me tonturas infinitas, 
Tantas vezes...
Toco alegre, todo dia, 
Todos afazeres...
Tanta fadiga, tudo inútil...
Tento enganar-me,
Tardiamente ciente:
Tenho sensatez, 
Troco ideias,
Tudo certo!
Tempo ocioso tempero 
Utilmente... 
Terei sabedoria 
Tipicamente amorosa?
Trancos, barrancos tendem enfastiar-me... 
Tanto amor, 
Tanto desperdício...
Tempo bom! 
Tento enganar-me, 
Terei fundamento?
Tola fui, tola sou...
Tudo inútil, tanto sofrer...
Tudo fadiga...
Tateando vou... 

3 comentários:

  1. Gracias, es hermosa, Allí donde hay amor, hay vida. Un fuerte abrazo fraterno, que Dios este siempre contigo.

    ResponderExcluir
  2. Tão nostálgico e tão belo.
    Que o seu tatear lhe traga um mundo infinito de felicidades.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  3. Olá, amiga!

    Um tantão assim de bom o seu poema! É esse o nosso caminhar, sempre tateando, mas, tão cheios de esperanças. Beijos

    ResponderExcluir

Deixe seu toque poético aqui.

Related Posts with Thumbnails