quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Menina Social ( X )






Vivi uma infância coletiva,
Sempre rodeada de tios, avós e priminhos,
Na primeira infância, o sorriso era-me fácil, fácil
Debaixo da mão amiga da querida vovó Celina...

Das bonecas eu não largava,
Até ouvir da mãe que ensinava-me
Que eu estava já bem grandinha,
Ao sair da infância tão lindinha.

P'ra papai Noel eu pedia
E confiante ainda deixava-lhe,
Junto às rabanadas e à aletria,
Um pedaço de manjar com ameixa
E a noite ansiosa eu dormia.
No outro dia, a procurar o caroço no prato,
Posso dizer hoje: eu vivia!

Das brincadeiras coletivas, peripécias,
Da delícia que era ser criança ponho-me agora a recordar.
Do quintal grande com pés de coqueiros alados,
Só resta-me a saudade!
Brincávamos de adultos
Mas, misteriosamente, permanecíamos crianças.

3 comentários:

  1. Eis o segredo:permanecer crianças... Lindo!bjs chica

    ResponderExcluir
  2. Crianças! Exatamente o que não deixamos de ser. Adorei!

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  3. Hola Orvalho do Céu, buenos días.
    Paso por tu blog para dejarte un saludo, muy bello blog y el poema, gracias por compartir.
    Estaré ausente en mi blog hasta final del verano.
    Hasta mi vuelta. Feliz verano.
    Un abrazo.
    Lola Barea.

    ResponderExcluir

Deixe seu toque poético aqui.

Related Posts with Thumbnails