quarta-feira, 27 de junho de 2012

Visita à Casa Paterna - Vicente de Carvalho









Visita à casa paterna

“Como a ave que volta ao ninho antigo,
Depois de um longo e tenebroso inverno,
Eu quis também rever o lar paterno,
O meu primeiro e virginal abrigo.

Entrei. Um gênio carinhoso e amigo,
O fantasma talvez do amor materno,
Tomou-me as mãos, - olhou-me, grave e terno,
E, passo a passo, caminhou comigo.

Era esta sala... (Oh! se me lembro! e quanto!)
Em que da luz noturna à claridade,
minhas irmãs e minha mãe... O pranto

Jorrou-me em ondas... Resistir quem há de?
Uma ilusão gemia em cada canto,
Chorava em cada canto uma saudade”.

Eis a casa em que nasci e que tem à frente o meu papai amado e saudoso... ah!!! Se pudesse voltaria o tempo e o teria de volta... bem como a casa daquela época... hoje, não mais...


6 comentários:

  1. Rever o meu paizinho tbm seria uma as minhas viagens.
    Bjos e uma boa semana

    ResponderExcluir
  2. Olá amiga, passando pra matar a saudade!
    Que poema lindissimo, me emocionei ,viu!
    Beijo!
    http://casascoisaseoutros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Que lembrança gostosa, amiga. Muito legal. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Faço minhas as tuas palavras: "ah!!! Se pudesse voltaria o tempo e o teria de volta..."
    Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  5. Aun estando ausente, quisiera estar a tu lado y respirar la alegría que rodea tu espacio, mientras los sentimientos se siguen creciendo con la calidez del afecto, cual esporas mecidas por el viento.

    Gracias por no olvidar mi presencia y llevarme en el recuerdo.

    Un beso te acerco
    cargado de añoranza.

    McR

    ResponderExcluir
  6. Esse poema me fez voltar à época escolar. É cheio de sensibilidade.
    São muitas as lembranças, quando se tem saudade. Bjs.

    ResponderExcluir

Deixe seu toque poético aqui.

Related Posts with Thumbnails