segunda-feira, 2 de maio de 2011

VIOLÊNCIA NO AR



VIOLÊNCIA no ar!
Mil detalhes a cuidar,
Sem condição de nenhum amor dar-me,
Recordo-me a dor experimentada no lar,
Por parte de quem deveria mimar-me.

Estreiteza com a tristeza,
Semelhança no trilhar se vê,
No coração da indigente
Que precisava animar-se.

Infeliz do seu próprio destino,
Tem suas mãos acorrentadas,
Não gera laços fermentados,
Que triste desatino!

Como desprender-se da VIOLÊNCIA
Se as chaves perderam-se por falta de abrigo
No coração de quem prendia-na
E fê-la correr tanto perigo?

Quanta força desmedida!
No desperdício da ignorância,
Nas frentes em conflitos, na ida e vinda
A cultuar a violência...
.
Quem garante que isso é vida?


3 comentários:

  1. Violência é o que rola e a imprensa bate palmas. Beijos

    ResponderExcluir
  2. O que rola é violência e a imprensa bate palmas. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Uma poesia em que a necessidade de segurar nas mãos de Deus está evidente para evitar todo sofrimento.

    Após não conseguir conectar com seus blogs por alguns dias, eu consegui comentar no Espiritual-Idade, mas não vi o comentário publicado , nem de mais ninguém.
    Estou comentando aqui, mas preocupado.
    Espero que tudo esteja bem.
    Um abraço Fraternal.
    Élys.

    ResponderExcluir

Deixe seu toque poético aqui.

Related Posts with Thumbnails