quarta-feira, 25 de maio de 2011

INDIGENTE +




Dia custoso,
Monótono,
Visto pelo vidro,
Do quarto,
Num pequeno mundo,
Depois de um golpe,
Profundo,
Noite longa,
Interminável,
Sonho expandido,
Mágoas germinadas,
Ninguém tem tempo,
Tão ocupados,
Nada é como antes,
Fico só...
Num canto,
Vou-me!
Para onde vou?
Qual é o meu nome?
Tenho sede e fome.
Porém vou com meus pés
Fora da lama...
Trem afora!


5 comentários:

  1. Nossa que lindo poema...no meu pensar...é tanta tristeza ,tantos pensamento,tanta vontade de saber quem realmente és,que qdo dá por si ,nem sabes sua identidade....tens fome de saber,de cainho de atenção...te compatas ao andarilho?
    Desculpe a minha interpretação mas foi o que senti....Vim conhecer este espaço e amei....Vejo em sua foto com um au...au....tbém amo....fiz um blog para ele :http://myfriendbeagle
    se quiseres visitar...
    Convido também para meu blog
    lindo dia para você,estou seguindo....beijos

    ResponderExcluir
  2. Ficou muito linda tua inspiração!Bela participação!um beijo,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. As vezes nos sentimos tão sós que nem sabemos o rumo a seguir. Então aproveitamos esses momentos para reorganizarmos a nossa vida.
    Bjux

    ResponderExcluir
  4. Seu carinho, bem maior na minha vida.
    Muito obrigada.
    Beijo.
    Fátima Guerra.

    ResponderExcluir
  5. Gostei demais do seu poema. Que poema reflexivo e que nos faz para para pensar que caminho seguir.

    Belíssima partcipação

    ResponderExcluir

Deixe seu toque poético aqui.

Related Posts with Thumbnails